Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/discove1/public_html/news/header.php:4) in /home/discove1/public_html/news/header.php on line 9

Warning: session_start(): Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /home/discove1/public_html/news/header.php:4) in /home/discove1/public_html/news/header.php on line 9
discoverazores.org

Houve fogo no Piquinho do Pico

2020-01-13

Houve fogo no Piquinho do Pico

   
"Já vi montanhas nas cartas de postal que a família manda quando viaja. Já vi montanhas nos filmes e séries que passam na televisão e que nos fazem acreditar que poderíamos sobreviver a todos os acontecimentos se fôssemos um super herói. Mas melhor que ver foi sentir, sentir a sintonia e harmonia que existia entre a natureza e nós, na nossa performance..."

Foi assim que Christophe Kerbourch começou por descrever a sua experiência de cuspir fogo no ponto mais alto de Portugal. "Fui ajudante do Piquinho. Não cuspi lava nem fumo, nem fiz chamas do tamanho das dele, mas subi até lá e mandei umas chamas, para ver se não se sente só."

Foi um evento especial na sexta edição do Montanha Pico Festival. Eram 08h da manhã, neste passado domingo, e a Casa da Montanha estava abarrotada de gente, gente aventureira, que queria ajudar nesta caminhada de arte e com artistas pela montanha mais alta do hemisfério norte atlântico.

A bailarina Sofia Santos, o saxofonista Luis Senra e o artista circense Christophe Kerbourch estavam preparados para atuar na Furna de Abrigo e depois, só a Mãe Natureza, e o seu clima, iriam ditar se haveria oportunidade de subir um pouco mais. A manhã estava fria e as pedras vulcânicas da montanha, com uma camada de gelo, poderiam afetar a escalada.

"As minhas mãos congelaram, doíam, senti vontade de chorar, a dor era aguda devido ao vento. Mas sabia que oportunidades como esta só existem uma vez na vida" partilha Christophe da sua experiência. "Despi-me. Sim, eu despi-me naquele frio enorme que ali estava, assim ficando em tronco nu. Acendi a tocha e cuspi fogo, cuspi fogo 4 vezes mais precisamente - que sorte - foi das melhores experiências da minha vida."

Entre as exposições de pintura e fotografia, terças de cinema no Museu dos Baleeiros, quartas com trabalho de terreno na MiratecArts Galeria Costa, concertos musicais sextas à noite, no Auditório da Madalena, visitas a grutas aos sábados e as tardes de chá na Casa da Montanha aos domingos, a subida anual à montanha é um evento especial muito cobiçado na eclética programação. Já lá foi o violoncelo de Guilherme Rodrigues, a gaita-de-foles de Ross OC Jennings, também já houve chamarrita e agora foi a vez do artista luso-francês Christophe Kerbourch, também conhecido pelo nome artístico Kerbux, um dos poucos que conseguiu o objetivo de pisar e atuar no topo de sua magestade. Montanha Pico Festival continua até ao final de janeiro com muita arte e aventura. www.picofestival.com
--- ---
Foto: Austeja Liu


DEIXE A SUA OPINIÃO
LEAVE YOUR OPINION

OUTRAS NOTÍCIAS
OTHER NEWS

5 anos de Sorrisos de Pedra

2020-04-28 07:44:21

Novas vertentes e renovadas energias nos 5 anos...

LER +

Dias Internacionais e Concurso Desenho G...

2020-04-27 08:29:45

MIRATECARTS MARCA DIAS INTERNACIONAIS  LER +