Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/discove1/public_html/news/header.php:4) in /home/discove1/public_html/news/header.php on line 9

Warning: session_start(): Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /home/discove1/public_html/news/header.php:4) in /home/discove1/public_html/news/header.php on line 9
discoverazores.org

Fringe encerrou com muita luz e futuros planos

2017-07-02

Fringe encerrou com muita luz e futuros planos


A quinta edição do festival internacional de artes, Azores Fringe, encerrou, na ilha do Faial, com o arranque de um novo projeto: a Festa da Lanterna. No meio de tanta luz, o fundador da maior mostra de arte e artistas dos Açores para o mundo, Terry Costa, diretor artístico da associação MiratecArts que coordena o festival, anunciou que vai haver algumas mudanças, a começar por alguns programas que vão ver a sua extinção, ao mesmo tempo que novas ideias vão surgir para futuras edições. Tudo será apresentado no dia 11 de julho, no World Fringe Day, o dia internacional do Fringe.

O Azores Fringe faz parte da rede de mais de 250 festivais no mundo. O movimento Fringe começou em 1947, em Edimburgo, e agora está a celebrar 70 anos. Para marcar este acontecimento, durante o encerramento do festival nos Açores, criou-se o número 70 com lanternas, o que aconteceu no terreno da Casa Pinheiro, na freguesia da Feteira, no Faial.

Rafael Fraga, o artista que propôs e liderou o projeto para acontecer durante o Fringe, passou a semana antes do evento a organizar workshops nas Casa do Povo, ATL, escolas e outros locais da ilha. Assim, mais de uma centena de pessoas participaram nesta primeira Festa da Lanterna, um evento que pretende continuar a desenvolver nos próximos anos, aproveitando latas, frascos e outros materiais do lixo.

A quinta edição do Azores Fringe também viu uma programação musical a acontecer na ilha de São Miguel, com a Associação de Juventude da Viola da Terra, coordenado pelo músico Rafael Carvalho. Encontro e expedição fotográfica aconteceu na ilha das Flores, fim de semana de +Arte no Corvo e Atelier de Kaasfabriek levou Fringe a São Jorge. Sessões do shorts@fringe foram apresentadas nas ilhas Graciosa, Terceira e Santa Maria. O Pico, como o epicentro do Fringe, na vila da Madalena, apresentou mais eventos do que nunca, para as escolas e com programação em novos locais como o novo Auditório da Madalena, que acolheu os trabalhos dos 20 artistas participantes na Residência Artística de Arts Unfold, Once Upon Water, e ainda o espectáculo de dança, oriundo do Canadá, Over a Rainbow, de SQx Dance Company. O III Encontro Pedras Negras também aconteceu na ilha do Pico.

"Foi o mais concorrido e participado festival até à data" diz Terry Costa. "Das mais de 3800 propostas, de 107 países conseguimos apresentar 302 artistas, de 52 países. Audiências aventuraram-se tanto no programa de performance alternativa no Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, como ao dia de +Arte, no Corvo. Açorianos e visitantes juntaram-se na Praça da Madalena para acontecimentos que, às vezes, nem sabiam que estavam a fazer parte, mas quando se viam no meio de uma performance não fugiram, como faziam há uns anos. Agora ficam contentes e participam." Exposições viraram galeria de lojas de sapatos e de roupas, hotéis, pastelarias; o Centro de Saúde e Edifício de Segurança Social da Madalena e, ainda pela primeira vez, da Delegação do Pico da ALRAA. Milhares de pessoas fizeram parte do Fringe e o Fringe fez parte das 9 ilhas dos Açores, durante 5 semanas e mais de 150 eventos. 


DEIXE A SUA OPINIÃO
LEAVE YOUR OPINION

OUTRAS NOTÍCIAS
OTHER NEWS

Galeria Costa no Azores TOP 10

2017-10-11 00:12:58

Galeria Costa nomeada para o Azores Top 10

 ...

LER +

Açores no Canadá

2017-10-01 23:37:41

MiratecArts apresenta fotógrafos açorianos ao Ca...

LER +